18/02/2010

Vamos lá aqui desfazer o mito

.
Vocês todos foram ensinados e têm a ideia que antes de meter comida no frigorífico que ainda esteja quente tem de se esperar que arrefeça um pouco. Certo? Errado!
.
.
Uma das coisas que aprendi na cadeira Igiene degli Alimenti (que como a maioria não tem nada a ver com o que daria a Portugal, mas que até foi interessante) foi como devemos conservar os alimentos. Ora, a maioria das bactérias vive entre os 10ºC e os 70ºC, logo devemos conservar os alimentos ou acima de 70ºC ou a menos de 10ºC quando estão à espera de ser consumidos. Logo, a comidinha tem de ir directamente para o frigorífico quando nós não nos queremos servir mais dela, e não podemos deixar criar as condições para que as bactérias se possam multiplicar.
.
.
Durante a aula nós não tínhamos percebido muito bem esta parte e no final fomos perguntar à professora que disse que não percebia porque é que havia a ideia que se tinha de deixar arrefecer a comida primeiro. Alguém sabe se até tem algum fundamento?
.

12 comentários:

Cat disse...

AH, maravilha! Detesto ter que ficar à espera que arrefeça. Obrigado, Ritinha!

Suspiro disse...

Sempre fiz isso...Parece que andei errada este tempo todo lol ;) já aprendi uma coisa nova hoje

Anónimo disse...

Isso é o que resta de tempo antigos em que as caixas frigoríficas refrescavam os alimentos (eram periodicamente abastecidas abastecidas com gelo)

Melodia disse...

mim o que me foi disso em relaçao a isso é que acomida pode-se estragar.... tem de ir pro frigorifo pelo menos a uma temperatura razoavel...

nao sei mais que dizer... mas vendo bem se calhar ambas as situaçoes tem a sua logica

gostei

Jedi Master Atomic disse...

Há quem diga que (e eu tenho o habito de o fazer) deixar que a comida arrefeça um pouco primeiro a torna mais saborosa quando a fores reaquecer. Ou pelo menos, não tão sem sabor.

Quanto às bacterias, pelos vistos ninguem liga a isso. Mas vou passar a fazer como dizes :P

Odalisca disse...

hum olha tb não fazia a minima ideia disso... pronto, vou deixar de estae feita parva à espera e vai tudo p o frigorifico XD Obrigadoooooooooo
beijo**

Rita disse...

Cat, e o pior é que às vezes até nos esquecemos que estamos à espera =S.

Suspiro, eu tb andava enganada, e aposto que muita mais gente tb.

Sr. Anónimo, não percebi...

Melodia, mas porque é que se estraga? Talvez tenha a ver com a rápida descida de temperatura e de ser a passagem das temperaturas que são. porque com o congelamento quanto mais rápido melhor.

Jedi, isso do sabor eram as bactérias que o provocavam =P ahahaha

Odalisca, e mais nada!

Maria Ana disse...

Essa cadeira deve ser super gira. Pois não sei... A minha mãe uma vez disse que não valia a pena porque arrefecia na mesma e assim não interferia na temperatura do frigorifico. A parte das bactérias faz todo o sentido

Anónimo disse...

A sra. anónima explica-se melhor. Antes de termos os nossos amados frigoríficos existiam as "casas de gelo", divisões dedicadas à conservação de alimentos pelo frio com gelo transportado de longe. Depois, surgiram " caixas de gelo" a versão mais barata da coisa. Coisas quentes derretem o gelo rapidamente e fazem encarecer a coisa. Assim como colocar coisas quentes no frigorifico obriga o frigorífico a gastar mais energia para manter a temperatura adequada.
Resumindo: o correcto é colocar a comida quente em embalagens de VIDRO (os plásticos não são para comida quente, ah pois é) e enfiar imediatamente no frigorífico.
Aqueles enjoozitos, digestões difíceis e dorzitas de cabeça que às vezes temos são as marotas da bactéria a chatear no dia a dia. Vale a pena ser cuidadosa.

Rita disse...

Não leve o Sr. que neste caso é Sra. Não sei porquê mas soa melhor assim.

Obrigada pela explicação, por acaso não sabia mesmo isso. E pelos visto a professora não contou a história. Faltou a parte que tem de ser em recipientes de vidro.

Agora fica aqui a informação completa!

Madame Pirulitos disse...

Eu já sabia disso. mas quando o dizia a alguém... ninguém acreditava. Vi uma vez num programa de televisão.

Joana Ofélia disse...

Tem bastante lógica e não fiquei tão surpreendida assim. Apesar de ser mais eficaz a evitar a contaminação com bactérias e germes afins, não se deve guardar a comida ainda muito quente no frigorífico exactamente para evitar um maior gasto energético (este electrodoméstico é dos que mais gasta electricidade, tenham lá atenção ao ambiente também fachavor) e para não provocar alterações de temperatura que podem afectar os outros alimentos que lá estão já guardados.

*